Manga na Praia

Assisti dois filmes nos últimos dias que merecem comentários, o primeiro foi Amarelo Manga do pernambucano Cláudio Assis. Ouvi falar deste filme em 2001 quando um amigo da faculdade Tiago Delacio (creditado como Estagiário de Direção) me falou que estava trabalhando na produção de um longa que ia ser rodado aqui em Recife.

O filme teve um baixíssimo orçamento (R$500 mil) e um elenco que misturava atores conhecidos do cinema nacional como Matheus Nachtergaele, Jonas Bloch, Chico Diaz e Dira Paes com vários atores locais, curiosamente mais conhecidos em Recife pela publicidade de TV do que pela atuação no Teatro. As atuações são boas, em sua maioria, com destaque para Matheus que fez um sotaque pernambucano perfeito, no que o Chico já teve dificuldades pra convencer. Não sei bem se o ponto fraco do filme é o roteiro ou a montagem, dou nota 3 (0 a 5). Uma referência especial à sequencia no início do filme quando o personagem do Jonas Bloch dirige seu Mercedes Amarelo Manga pelo Recife Antigo (um percurso que eu faço para trabalhar) ouvindo Roger com a Sopa da Cidade.

O outro filme a ser comentado é o criticado A Praia do diretor do elogiado Trainspotting, Danny Boyle. Eu confesso que as várias críticas negativas que eu havia lido sobre este filme me afastaram dele, mas ontem passou na Globo de graça, eu decidi assistir. Que grata surpresa, o filme é bom, nota 4 (0 a 5). Apesar de alguns furos de roteiro e personagems (e situações) que poderiam ser melhor explorados. Mas o filme é cheio de metáforas e críticas nas entrelinhas ao modo de vida do mundo atual. Leonardo Di Caprio apesar da eterna cara de adolescente faz um bom trabalho e a francesinha Virginie Ledoyen é linda e não atrapalha. É dos dois inclusive a cena em que há uma narração do personagem do Leonardo que merece o destaque abaixo, reflita:

“When you develop an infatuation for someone,
you always find a reason to believe that this
is exactly the person for you.
It doesn’t need to be a good reason,
a bad one will do just as well.
Taking photographs of the night sky, for
example: in the long run that’s just the
kind of dumb irritating habit that would
cause you to split up. But at the time –
it’s the charming eccentricity you’ve
been searching for all these years. “

1 thought on “Manga na Praia

  1. Sou doida pra ver amarelo manga, adoro filme nacional. Quanto a praia, me surpreendeu. Vi em dvd (de graça pq meu primo tinha alugado) e gostei. Não é um filmãaaao, “nossa como é bom” e tal, mas gosto do trabalho do Leonardo di Caprio (embora ele sofra com a crítica por já ter sido o ídolo das adolescentes) e o filme passa uma mensagem legal.

Os comentários estão desativados.