Janela Aberta

Mais uma poesia do projeto sobre o qual eu falei outro dia, essa é de uma temática diferente, não me pergunte porém os porquês, eles não me pertencem. Eu gostei dela, apesar de me causar um certo incômodo. Leiam.

Janela Aberta

Jamais conte o que viu
Nesta casa nada aconteceu,
Lave as mãos na beira do rio.

Antes eu via você diferente
Bastava pra mim essa forma de ver
Errei mas gostei de te ver como gente.

Rapidamente notei o calor
Tenho tentado usar o que sei
Antes que digam que sou amador.

Marcelo Leal Limaverde Cabral (30/10/2001)

PS. Tem mais no canal de poesias e textos.